FacebookPixel
NOTÍCIAS DO MERCADO IMOBILIÁRIO, CONSTRUÇÃO CIVIL & ARQUITETURA, VISTOS E TURISMO
Voltar \ Baixa foi principal destino do investimento imobiliário no Porto

Baixa foi principal destino do investimento imobiliário no Porto

11 dez 2019
Baixa foi principal destino do investimento imobiliário no Porto
Geral
Dados são do Confidencial Imobiliário e referem-se ao primeiro semestre do ano. Baixa portuense tem 50 novos projetos em carteira
Nos primeiros seis meses de 2019 entraram em processo de licenciamento 187 projetos nas nove Áreas de Reabilitação Urbana (ARU) do Porto, cerca de 50 na ARU da Baixa que é principal destino do investimento imobiliário no concelho.

Os dados foram revelados hoje pela Confidencial Imobiliário que refere que, no total das nove ARU, a carteira de promoção imobiliária ascende a 121.907 metros quadrados.


A ARU da Baixa, aponta em comunicado, “é o principal destino deste investimento, acolhendo 50 novos projetos em carteira que totalizam 34.836 metros quadrados”. Em número de projetos, a Baixa representa 27% da carteira contabilizada, no total das nove ARU e em área apresenta um peso de 29%.

Esta preferência dos promotores pela Baixa seria expectável, considerando tratar-se da ARU com maior procura, ao concentrar, no mesmo período, 48% (110,9 milhões de euros) de todo o investimento imobiliário contabilizado pelo SIR – Reabilitação Urbana e apresentando também um dos ‘tickets’ médios de investimento mais elevados do território, em 450,9 mil euros” refere Ricardo Guimarães, diretor da Confidencial Imobiliário, citado em comunicado.

De acordo os dados da Confidencial Imobiliária, a ARU da Lapa está também no radar dos promotores, concentrando 31 projetos (17% do total), seguida de Campanhã, com 26 projetos e um peso de 14%.

Já o Centro Histórico contabiliza neste semestre menos de metade dos projetos em carteira na Baixa, nomeadamente 20 projetos, o equivalente a 11% do total, exatamente o mesmo que a ARU da Foz Velha (20 projetos, 11%).

Entre as restantes ARU, a de Bonfim é a mais dinâmica, com uma carteira de 15 projetos (8%), seguindo-se Massarelos (12 projetos, 6%), Corujeira (oito projetos e 4%) e Lordelo do Outro, com cinco projetos (3%). Ainda de acordo com os dados apurados, em termos de área, Massarelos é a segunda ARU com maior peso no ‘pipeline’ total, a seguir à Baixa, contabilizando 25.541 metros quadrados (21%).

Destaca-se também Campanhã, com uma carteira de 21.110 metros quadrados, equivalente a uma quota de 17% e Lapa, com 17.699 m² e um peso de 15%. O ‘pipeline’ do Centro Histórico, aponta a Confidencial Imobiliária, ascende a 8.806 metros quadrados (7%), enquanto a ARU da Foz Velha totaliza 5.948 metros quadrados (5%) e a do Bonfim 4.498 metros quadrados (4%). Corujeira e Lordelo do Ouro têm carteiras de, respetivamente, 2.321 metros quadrados (2%) e 1.148 metros quadrados (1%).

Fonte: 
https://www.dinheirovivo.pt/economia/baixa-foi-principal-destino-do-investimento-imobiliario-no-porto/
Veja Também