NOTÍCIAS DO MERCADO IMOBILIÁRIO, CONSTRUÇÃO CIVIL & ARQUITETURA, VISTOS E TURISMO
Voltar \ Imobiliário em 2019. Investimento estrangeiro garantiu 80 % do total

Imobiliário em 2019. Investimento estrangeiro garantiu 80 % do total

06 jan 2020
Imobiliário em 2019. Investimento estrangeiro garantiu 80 % do total
Habitação
Capital internacional foi responsável por transações superiores a €1000 milhões, em 2019. Alemanha, EUA e Espanha são os principais investidores.
capital estrangeiro continua a dominar o mercado imobiliário português. Em 2019, as transações internacionais representaram 78% do investimento total no nosso país. Segundo dados revelados hoje pela consultora Cushman & Wakefield, o capital nacional mais do que duplicou o volume investido, ainda assim a maior fatia pertenceu a investidores internacionais, com primazia para as casas de investimento alemãs, que alocaram €680 milhões. Seguiram-se os investidores americanos, com €300 milhões, e os espanhóis , com investimentos na ordem dos €294 milhões.
 

Para Eric van Leuven, diretor-geral da consultora em Portugal, “2019 foi transversalmente um ano excelente para o imobiliário nacional: no mercado de investimento imobiliário comercial estima-se que terão sido transacionados €3.000 milhões, enquanto que o mercado ocupacional revela uma procura ativa e limitada pela escassez de oferta de produto de qualidade.”

Num ano marcado por uma forte dinâmica de investimento, foi na segunda metade de 2019 que o mercado atingiu valores mais expressivos. Foram registados €2.750 milhões até 31 de dezembro, um valor provisório que poderá atingir os €3000 milhões, superando o recorde do ano passado. “As transações de portfólios de grande dimensão continuaram a ter um peso muito significativo no total de investimento, tendo representado 53% do volume transacionado; com €1.450 milhões distribuídos por 17 negócios”, refere nota da consultora.

Apesar dos números de investimento internacional, o capital português em 2019 atingiu os €602 milhões, mais do dobro dos valores alcançados no ano anterior. O setor de escritórios liderou a procura, atraindo 36% do total investido, cerca de €990 milhões. As principais transações corresponderam à compra do FMP 41 pelo fundo alemão Dekae do portfolio Art's Business Centre e Torre Fernão Magalhães pela “Socimi” espanhola Merlin. Seguiu-se de perto o setor de retalho, com 35% do volume total, acimade €970 milhões. O segmento de centros comerciais foi o mais ativo, para o qual contribuiu a aquisição do AlgarveShopping e Albufeira RetailPark pela Frey por €179 milhões, assim como a venda do RioSul Shopping, 8ª Avenida e LoureShopping àHarbert por €170 milhões.

Um dos setores que esteve em destaque foi a hotelaria, que captou 19% do capital total investido, num total de €520 milhões. A maior transação do ano foi neste setor: a venda do portfolio Tivoli pela Minor à Invesco por €313 milhões. “A crescente promoção em segmentos menos tradicionais atraiu igualmente o capital estrangeiro, particularmente a Xior, que adquiriu 8 residências de estudantes (em diferentes fases de desenvolvimento) por €160 milhões”, refere a mesma nota.

Perspetivas para 2020

Segundo o diretor-geral da Cushman & Wakefield em Portugal, as previsões para 2020 permanecem optimistas. “A expectável manutenção do baixo nível das taxas de juro, e a popularidade de Portugal como destino de investimento, farão prever aplicações de altos níveis de liquidez nos vários segmentos do mercado imobiliário”.

A consultora estima um volume de negócios próximo aos dois últimos anos. “No mesmo sentido, não antecipamos um decréscimo dos elevados níveis de procura latente no mercado ocupacional, que continuarão a pressionar o mercado para o aumento da oferta de espaços com qualidade e adequados aos critérios de ocupação dos inquilinos”.

Ao longo de 2020, o conceito de economia partilhada (ou corevolution) continuará a dinamizar o mercado, com o surgimento de novos produtos e conceitos, como coworking, coliving; microliving; e um novo tipo de residências de estudantes e de seniores. Não sendo produtos novos no mercado, distinguem-se pelo seu ajustamento aos novos requisitos dos utilizadores finais e por terem uma gestão profissionalizada.

Fonte: 
https://expresso.pt/economia/2020-01-02-Imobiliario-em-2019.-Investimento-estrangeiro-garantiu-80--do-total

Veja Também